Total de visualizações de página

ESTRUTURA OVERTRIP

O = ONZE LINHAS NA ESTRUTURA DO POEMA

VER = VERSOS LIVRES OU NÃO.

TRI = TRINTA E DUAS PALAVRAS

P = PENSAMENTO CONCRETO

As 32 palavras são distribuídas entre os 11 versos.

"O poema é constituído por uma estrofe de onze versos (livres ou não), pelos quais se distribuem 32 palavras da seguinte maneira: Duas palavras nos versos ímpares e quatro nos

pares, ou quatro Palavras nos versos ímpares

(com exceção do 11º que também ficará com

duas palavras) e duas, nos pares.


Pode abordar qualquer tema, dispensa rima, porém o título é obrigatório.

Formas diferentes nas disposições acima, sem interferir na concepção das 32 palavras em onze versos, serão consideradas "Variáveis" da forma original(Histórica) pensada para a estrutura do OVERTRIP.

domingo, 27 de novembro de 2011

LEITURA DE DOMINGO

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO – 27/11/2011
“Pensadores pregam palavras! Provocando pensamentos positivos. (CCF)”
Dedicado aos pensadores que tomaram o meu tempo nesta manhã.

SERGIO VAZ
Entrevistado por André Caramante
Criador da COOPERIFA – Cooperativa Cultural da Periferia em 2001.
... Tive certeza de que viveria da Literatura...enquanto alguns capitalizavam a realidade, eu fazia parte dos que socializavam sonhos.
... Revolucionário é todo aquele que quer mudar o mundo e tem a coragem de começar por si mesmo.
... Não pegava bem ser Poeta na minha quebrada.
... Os nossos Saraus são Quilombos para onde os escravos fogem para se expressar.
... A literatura liberta...podemos sonhar com as nossas próprias mãos.
... Quem lê enxerga melhor.
.Ninguem é obrigado ajudar...nem ficar de braços cruzados.
GILBERTO DIMENSTEIN
ARTICULISA QUE DISPENSA APRESENTAÇÃO
...Não conheço nenhuma palavra mais bonita do que “SERENDIPITY.”
Inventada por um Inglês em 1754, que se inspirou numa lenda Persa. SERENDIPITY é uma palavra impossível de ser traduzida para outros idiomas num único termo. Superficialmente, ela significa o prazer das descobertas por acaso.
... A dor e a delícia do SERENDIPITY: Para viver experiências, sempre estamos nos despedindo de alguma coisa de que gostamos.
Pedindo licença ao Gilberto Dimenstein:
O meu SERENDIPITY é a Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande-SP. “Ela me proporcionou e proporciona o prazer de transformar o acaso em constante aprendizagem...todos os dias.
FERREIRA LUGAR
Esse então!
...Quem , como eu, admite que a vida é inventada e que a Arte é um dos instrumentos dessa invenção terá do fenômeno artístico, uma visão especial.
... Não importa se esta ou aquela pessoa nunca viu a Capela Sistina, porque no dia que a vir, se renderá a ela.
... Somos seres culturais e não apenas porque nos apoiamos em valores éticos, estéticos, religiosos, filosóficos, científicos – mas porque eles são constitutivos dessa galáxia inventada que é o mundo humano.
... A arte existe porque a vida não basta. Nela está implícito que não é função da Arte retratar a realidade, mas reinventá-la.
Pedindo licença ao mestre:
CCF em 14/01/2008...”O Poeta não está obrigado a explicar o mundo, mas sim transformá-lo com a sua Arte.”
... Nada me alegra mais do que me deparar com uma criação artística inovadora.
CONCLUINDO:
Grandes mestres das ARTES, eu não sou digno que entreis em minha mente, mas dizei uma palavra e serei EU.


SV

Sergio Vaz...
Movimento, Criação
Cooperativa Cultural da Periferia
COOPERIFA em ação!
Poetas ganhando voz, representatividade.
Quilombos sonoros.
Atitude Caiçara,
sambaquis semeando “sentimentos”.
Com liberdade de pensamentos.
Viajando!
Pois “o barato é louco.”

Postagens mais vistas